Índice que reajusta aluguéis fecha o ano com alta de 23,1%

Alta foi puxada pelas taxas de variação das commodities

O IGP-M desacelerou em dezembro, registrando avanço de 0,96%, depois de variar 3,28% em novembro

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) desacelerou em dezembro, registrando alta de 0,96%, depois de variar 3,28% em novembro. De janeiro a dezembro de 2020, o índice, que é usado como base para o reajuste dos contratos de aluguel, acumulou alta de 23,14%. Em dezembro do ano passado, a taxa foi de 2,09% e a alta acumulada nos 12 meses de 2019 ficou em 7,3%.

Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre). O coordenador dos índices de preços do instituto, André Braz, destaca que a desaceleração ocorreu por causa da diminuição da pressão inflacionária no índice ao produtor por estágios de processamento, que cedeu em dezembro.

“As matérias-primas brutas caíram 0,74% em dezembro. As principais contribuições para este movimento partiram das commodities: soja (11,91% para -8,93%), bovinos (7,4% para -0,58%) e milho (21,85% para -2,17%). Os preços da soja e do milho seguem em alta em bolsas internacionais e tal movimento pode limitar a magnitude das quedas nas próximas apurações”, detalha.

Índices
O principal componentes do IPG-M, o Índice de Preços ao Produtor Amplo também desacelerou, registrando variação de 0,9% em dezembro, abaixo dos 4,26% de novembro. No ano, a taxa acumulou alta de 31,63%. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) avançou 1,21% em dezembro, depois de subir 0,72% em novembro, acumulando alta de 4,81% em 2020. Último componente do IGP-M, o Índice Nacional de Custo da Construção variou 0,88% em dezembro, ante 1,29% em novembro. No acumulado do ano, o INCC fechou com alta de 8,66%.

Com Agência Brasil

Similares

Advertisment

Popular

BC iguala limite do Pix ao das transferências eletrônicas

Para compras, passará a valer limite do cartão de débito

Balança comercial tem superávit de US$ 1,1 bilhão em fevereiro

Resultado é o mais baixo para o mês em sete anos

Confiança deixa de ser homogênea entre os segmentos da indústria

ICEI teve resultados setoriais difusos em fevereiro