Bolsa desaba mais de 4% por risco de nova de onda de contágio na Europa

Dólar subiu 1,3% quase encostando em R$ 5,76

Para os investidores, a nova onda de contaminações pode significar que a recuperação econômica mundial demorará a vir

A bolsa brasileira seguiu o movimento internacional e registrou forte queda nesta quarta-feira (28). O Ibovespa retraiu 4,2%, aos 95.369 pontos. Enquanto isso, o dólar comercial subiu 1,3% sendo cotado a R$ 5,7599 na venda e a R$ 5,7593 na compra. Os agentes de mercado estão preocupados com o aumento de novos casos de coronavírus pelo mundo, especialmente na Europa e nos Estados Unidos. Para os investidores, a nova onda de contaminações pode significar que a recuperação econômica mundial demorará a vir.

A França registrou 52 mil novos diagnósticos no domingo e dois terços da população do país já vivem sob um toque de recolher noturno. O presidente Emmanuel Macron deve anunciar novas medidas de contenção do vírus ainda hoje e há especulação sobre a possibilidade de estabelecer um novo lockdown. Países do bloco europeu já adquiriram mais de um bilhão de vacinas que estão sendo desenvolvidas contra a Covid.

A média móvel de novas infecções pelo vírus nos Estados Unidos marcou um recorde de 69.967. As internações avançaram 5% ou mais em 36 dos 50 estados. Outro fato que está no radar é o pacote de estímulos para a economia norte-americana. Donald Trump reiterou que as medidas não serão anunciadas antes das eleições que estão marcadas para 3 de novembro. 

Similares

Advertisment

Popular

Atividade econômica avança 2,5% no Sul no quarto trimestre

O BC alerta que a trajetória na região pode ser impactada pela ampliação dos casos de Covid-19

Produção de veículos cai 3,5% em fevereiro

É o pior resultado para o mês desde a crise de 2016

Produção industrial registra nona alta consecutiva

Indicador cresceu 0,4% em janeiro