Biopark atinge marca de 100 empresas

Parque tecnológico de Toledo também anunciou anuncia projeto de Smart Farm

A NetWord Agro foi fundada em 2014 na cidade de Palotina e trabalha com inovação para o agronegócio

O Parque Científico e Tecnológico de Biociências (Biopark), de Toledo (PR), anunciou a instalação da centésima empresa em seu território. A marca foi conquistada com a assinatura de contrato com a NetWord Agro, especializada no uso de tecnologias avançadas para monitoramento de solos e lavouras (na foto, integrantes da diretoria da companhia com o staff do Biopark).

O fortalecimento do Biopark como um ecossistema de acolhimento e crescimento para negócios, contribuiu para que o número fosse de 12 no início de 2020, para 100 empresas atuando no local. Para Luiz Donaduzzi, fundador e presidente do Biopark, esse é um importante marco na história do Empreendimento. “Desde a fundação, trabalhamos duro para transformar o Biopark em um espaço em que as empresas sérias queiram estar. A meta agora são 300 empresas para 2021, mantendo nosso foco em ser um ambiente com os recursos certos para o crescimento de cada negócio”, projeta Donaduzzi.

A NetWord Agro foi fundada em 2014 na cidade de Palotina e trabalha com inovação para o agronegócio. Por meio da solução oferecida pela empresa, é possível mapear, identificar e prevenir qualquer sinal de ameaça às culturas, pulverizar somente as áreas necessárias, registrar todas as informações e, assim, tomar as decisões certas para maximizar o rendimento.

“Atuamos no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Fazemos o monitoramento do solo de forma digital e, através de sensor de condutividade desenvolvido por nós, conseguimos identificar os déficits de nutrientes e oferecer a melhor solução. Ainda, usamos drones de asas fixas capazes de identificar antecipadamente problemas na lavoura”, conta Marcos Ferronato, CEO da empresa.

Smart Farm
A instalação da NetWord Agro no Biopark possui um objetivo ainda maior: a parceria se estenderá para a implantação de uma Smart Farm no empreendimento. Para isso, o Biopark cederá uma área de 15 hectares que se transformará em um local de referência. “Nosso primeiro objetivo é contribuir para a instalação de um Smart Farm com equipamentos automatizados e com tecnologia de ponta”, prevê Ferronato.

As “fazendas inteligentes” contam com recursos de IoT, robôs e drones, sensores, veículos autônomos, entre outras tecnologias. O objetivo é ter um ganho de eficiência por meio de informações em tempo real, previsões de dados e a utilização de ferramentas avançadas.

Benefícios para empresas
As empresas que ingressam no Biopark têm acesso a uma série de benefícios, entre eles, estrutura física sem custo com aluguel, visibilidade, serviços essenciais ao negócio com preços reduzidos, entre outros. Destaca-se como principal benefício as mentorias gratuitas com profissionais experientes. As empresas ainda contam com acesso a rede de contatos e participação em eventos e capacitações.

Similares

Advertisment

Popular

Smart contracts prometem desafogar execução de contratos na justiça

Contratos digitais são a tendência para firmar acordos de forma irreversível e sem interferência humana “O...

Sul apresenta retorno dos consumidores às lojas

HiPartners aponta aumento de 41,8% no fluxo de pessoas “Os varejistas encontraram estratégias que posicionaram seus negócios...

Startup desenvolve tecnologia para monitoramento da umidade de solo

A solução criada pela irrigaSMART proporciona aumento da produtividade A startup já tem entre os seus primeiros clientes...