Infraestrutura de TI deixou de ser uma escolha

Setor de tecnologia se tornou uma necessidade para as empresas

O processo de estruturação da área de TI não tem uma fórmula pronta

A demanda por serviços de TI tem se tornado cada vez mais fundamental e crescido de maneira exponencial desde o início do século com toda a transformação tecnológica que temos testemunhado. Por isso, o investimento em uma infraestrutura de TI, própria ou alocada, deixou de ser uma escolha para virar uma necessidade.

A infraestrutura de TI é composta por todo o setor de tecnologia presente em determinada companhia. Entre todos esses componentes estão os hardwares, softwares e aplicativos, sistemas operacionais, gestão e armazenamento de dados, plataforma de comunicação e redes, serviços integrados e plataformas de internet. É a interação entre todos esses itens que garante o funcionamento ideal da área de TI, conferindo velocidade, usabilidade e segurança a todos os seus sistemas, internos e externos. Ela suporta o fluxo, armazenamento, processamento e análise de dados de toda a companhia. Para que isso ocorra de maneira organizada, planejada e segura é essencial que a gestão de toda essa infraestrutura seja realizada por profissionais qualificados e, usualmente, por uma empresa especializada.

Os data centers podem ter a sua estrutura em um local fixo, centralizado ou distribuído de maneira descentralizada, de maneira física ou em nuvem, dependendo das necessidades da infraestrutura de TI de cada negócio. Os equipamentos físicos carecem de muito cuidado e prevenção a diversos tipos de ameaças como a invasão literal de seus espaços e eventuais danos ou furtos dos hardwares. Resfriamento para prevenir superaquecimentos, além de sistemas de prevenção a incêndios e outros perigos que podem, eventualmente, danificar fisicamente os componentes do hardware da infraestrutura do TI.

Essas questões deixam de ser uma preocupação nas estruturas em nuvem. Por outro lado, outras ameaças se apresentam e merecem a atenção da equipe de TI da companhia ou da prestadora de serviços. Nesse caso, a preocupação é com a segurança virtual e os sistemas devem ser constantemente monitorados e com mecanismos de como backups constantes devem fazer parte do planejamento da segurança. O armazenamento em nuvem permite uma maior flexibilidade nas demandas de TI. Se as vendas aumentam entre outubro e dezembro, por exemplo, é possível contratar uma maior capacidade de processamento de informações nesses períodos, sob demanda, o que pode ser muito útil para o controle de custos da empresa.

O processo de estruturação da área de TI não tem uma fórmula pronta, pois depende de muitas variáveis como o tamanho da companhia, a área de atuação, que pode carecer de um maior ou menor nível de segurança, a sazonalidade do negócio e outros pontos.

Similares

Advertisment

Popular

UEM desenvolve software que detecta vírus em três segundos

Tecnologia inédita no mundo pode ser usada em massa O aparelho, que cabe na palma da mão,...

Atividade econômica de Santa Catarina cresce 0,56%

O resultado foi o terceiro melhor do país Santa Catarina mostra uma recuperação mais consistente do que...

Sul concentra mais de um terço das agtechs do Brasil

País possui quase 300 startups de tecnologia agropecuária Na região, o Rio Grande do Sul tem o maior...